POR QUE ESCOLHER A BYTE FACTORY?

Além de oferecer 100% de ferramentas e serviços personalizados, nossa equipe tem o foco na alavancagem do seu negócio, informando e auxiliando sua expansão.

CONTATO
  • End.: Av. Jose de Souza Campos, Nº 1.815, cj 1.202
    Campinas-SP CEP 13025-320
  • Tel: +55 19 3795-4460 / 4461 / 4462 / 4463
  • Email: atendimento@bf.net.br

Definindo Eventos avançados por matéria

06/12/2008 em Editorial

Adicionamos uma nova interatividade na Diagramação visando aplicar regras locais com maior facilidade.
Os eventos criados sobre a tabela MATBOX serão atribuídos também ao menu obtido pelo clique com o botão direito nas matérias durante a diagramação. Esta opção irá chamar a rotina associada passando o código da matéria que foi escolhido.
Um exemplo desta rotina pode ser:
// Início da rotina begin Result:=True;
Mostra('A matéria é a '+IntToStr(NrChamada));
end; // término da função Este tipo de rotina poderia ser utilizado para integrar visualmente as matérias para diversas finalidades, por exemplo:
- Envio de uma matéria para o site Internet - Troca de conteúdo através de rotinas de update - Troca de quaisquer atributos, como status, datas, prioridades etc Não há limite para as possibilidades deste novo recurso.

Um recurso para diminuir a carga das imagens

06/12/2008 em WebServer

O servidor de imagens do AICS opera sob conexão TCP/IP (a mesma da internet) e o grande uso deste recurso é poder controlar as imagens de forma íntegra e segura.
Como não há acesso direto aos arquivos das imagens, é muito mais seguro e geograficamente livre este tipo de controle. Ainda, o webserver do AICS permite navegar facilmente pelas imagens já exibindo em tamanhos variados as imagens.
No AICS, o servidor de imagens pode ser utilizado para indicar códigos das mesmas em qualquer local do sistema, bastando criar uma coluna que seja o código da imagem e especificar o tipo da pesquisa como IMG. Nesta pesquisa, inicialmente, o AICS baixa o arquivo inteiro e o exibe numa pequena janela. Isto pode ser lento se o servidor de imagens estiver fora da rede local e se as imagens forem grandes.
Da mesma forma, as imagens podem ser associadas às matérias no Editorial e, quando apresentadas em previews, o AICS faz o descarregamento delas e depois a exibe.
Agora, na configuração geral, pode-se especificar a URL do servidor de imagens que gerará imagens em baixa resolução. Apenas especifique, separado por uma / (barra), esta URL. Exemplificando:
Valor anterior: meuservidor:8089 Valor novo: meuservidor:8089/www.meusite.com.br Note que este recurso REQUER atualizar o ServAICS e o AICS ao mesmo tempo, pois este conteúdo na versão anterior do AICS não será interpretado.

Novos atalhos no Editor!

07/12/2008 em Editor

O Editor interno do AICS é utilizado toda vez que um conteúdo RTF é editado, Isso ocorre quando são criadas colunas que são em formato RTF (neste caso, clica-se no botão Editar para abrir o Editor) ou extensamente no módulo editorial onde cada elemento de matéria é chamada no Editor automaticamente.
Alguns atalhos para facilitar a formatação e digitação foram adicionados. São eles:
- Ctrl+B : Liga/desligado bold (negrito)
- Ctrl+I : Liga/desliga Itálico - Ctrl+U : Liga/desliga sublinhado

Memória das posições das janelas

07/12/2008 em Geral

O BF AICS é um sistema que permite abrir N janelas, inclusive janelas de módulos iguais. Por exemplo, pode-se abrir vários Financeiros em diversos locais, diversos Controles de Materiais etc.
Uma vez as janelas fechadas, as próximas aberturas serão feitas na posição original. Este recurso é um tanto útil até mesmo pelo interessante recurso de criação automática de telas. A resolução de cada estação é dinâmica e tratar "posições das janelas" para todo o sistema em todas as estações seria praticamente inviável.
Entretanto, numa única estação, para um dado operador, memorizar as posições das janelas deixadas após o último fechamento pode ser bastante útil. Particularmente quando o operador abre diversos módulos de diversos locais e os posiciona para visualização simultânea. Ou, ainda, quando o operador posiciona diversos módulos do sistema de tal forma a definir um ambiente mais produtivo de navegação.
Para permitir este último ganho, a versão mais recente do AICS, por estação e por operador, irá memorizar as posições e recolocar as janelas no mesmo modo que estavam do seu último fechamento. Este recurso será válido mesmo se o sistema for fechado e aberto em outro momento.

Adicionado recurso nativo para CGIs no WebServer

07/12/2008 em WebServer

O WebServer nativo do AICS é o mais poderoso com recursos de paralelismo e integração com as regras internas da empresa sem precedentes.
Visando o controle mais completo de sites e mais flexibilidade em regras, agora o WebServer do AICS aceita módulos CGI convencionais.
A regra é bastante simples: indique o módulo a ser executado dentro de uma pasta "cgi-bin" abaixo da pasta raiz.
Exemplificando, se o site fosse www.aics.com.br e colocássemos um CGI dentro de uma pasta "cgi-bin" denominado cotacoes.exe, a URL de chamada deveria ser:
www.aics.com.br/cgi-bin/cotacoes.exe Se for chamado um EXE fora desta pasta, ele será transferido e não executado. Simples assim. Solicite a versão mais recente com este novo recurso.

Suporte a PHP nativo no Servidor Web

07/12/2008 em WebServer

Completando a generalização do servidor Web do AICS, expandimos os serviços de execução permitindo executar scritpts em PHP nativamente.
Para isso, instale a versão estável do PHP a partir do site http://www.php.net.
Em seguida, instale-o e baixe o Configurador mais recente do AICS (AICSSetup).
Execute-o e, na aba WebServer, configure o caminho completo para o CGI do PHP. Se o caminho estiver incorreto, os módulos em PHP não serão executados.
Importante destacar que estas expansões do servidor Web do AICS NÃO integram os CGIs e os scripts com as regras nativas da empresa que estão definidas no AICS.
O modo natural e mais eficaz de integrar as regras e executar procedimentos de bancos de dados e através das ações primitivas do AICS já conhecidas e, é claro, pelo uso da sua excelente, versátil e veloz máquina de Scripts.

Melhoria no Zoom 2x para edição

07/12/2008 em Editor de textos

O recurso de Zoom em 2x para editar textos ampliava somente a fonte.
Em alguns casos, o visual ficava comprometido se a entrelinha estava muito pequena. Logo, para manter o visual mais adequado, este recurso de ampliação em 2x agora duplica também a entrelinha.
O visual ficou muito mais agradável e sem efeitos nos demais recursos do sistema.

Somatória das Compras Selecionadas

07/12/2008 em Compras

Em Compras simultâneas, a grade de lançamentos apresenta uma compra por linha, com informações simplificadas e de rápido acesso.
Como na pesquisa do financeiro, adicionamos o total das compras selecionadas bastando para isso selecionar com o mouse ou com o teclado as linhas desejadas. O total das compras será exibido na parte inferior da janela.

Publicação de função para baixa completa de NFs

07/12/2008 em Centro de Informações

O AICS baixa as NFs dando entrada e saída dos materiais sempre de forma consistente. Por exemplo, seguindo as regras indicadas nas CFOPs dos itens e não da NF.
Em situações nas quais ocorre importação de NFs de outras fontes, pode ser complicado reproduzir a rotina consistente que o AICS possui internamente. Portanto, criamos uma função externa, que pode ser chamada, por exemplo, logo após as importações, cuja sintaxe é:
Function BaixarEstNF(NF_numero:double;Netcod:String):boolean Onde, informe o Número serial interno e o local da NF.
A rotina pode retornar falso se a NF já foi baixada ou ela se encontra bloqueada.

Recurso de Blacklist de IPs

07/12/2008 em WebServer

O WebServer do AICS permite gerenciar virtualmente qualquer número de sites num mesmo servidor. Incluindo N sites para M bases de informações.
Entretanto, o controle de acesso integrado permite que os logins e o público em geral acessem os dados de qualquer origem.
Nesta atualização do sistema, pode-se criar endereços tipo "lista negra" (blacklist) e restringir completamente o acesso a estes endereços. Para isso, basta criar um arquivo TXT com nome BlackListIP.txt e adicionar, linha a linha, os IPs proibidos.
Portanto, este esquema de "lista negra" pode ser variável por site.